EPIs para Trabalho em Altura de limpeza solar

Sistemas, equipamentos e procedimentos de proteção coletiva;

Equipamentos de Proteção Individual para trabalho em altura: seleção, inspeção, conservação e limitação de uso;

Acidentes típicos em trabalhos em altura;

Condutas em situações de emergência, incluindo noções de técnicas de resgate e de primeiros socorros.


Além do treinamento para a execução das atividades, deverá ser realizado um treinamento extra bienal ou sempre que ocorrer alguma das seguintes situações:


Mudança nos procedimentos, condições ou operações de trabalho;

Evento que indique a necessidade de novo treinamento;

Retorno de afastamento ao trabalho por período superior a noventa dias;

Mudança de empresa.


O intuito é preparar os trabalhadores para que atuem com responsabilidade durante suas tarefas.


Dessa forma, pode-se reduzir os riscos de acidentes de trabalho, juntamente com os EPIs para Trabalho em Altura e demais medidas de controle de risco.



Imagem: Divulgação


Planejamento, Organização e Execução – Passo a passo para executar o trabalho em altura com segurança.


A NR 35 exige, também, que todo o trabalho realizado em altura seja planejado, organizado e executado por um profissional devidamente capacitado e autorizado.


Dessa forma, consegue-se ter certeza da garantia dos requisitos básicos de Segurança do Trabalho para proteger os funcionários envolvidos.


Além da capacitação e habilidade para realizar o planejamento, é preciso que o profissional responsável tenha sua saúde avaliada pelo Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional – PCMSO.


Realizar uma análise de riscos adequada também faz parte dos procedimentos que otimizam a Segurança do Trabalho em Altura.


Segundo a NR 35, essa análise deverá considerar, além dos riscos inerentes ao trabalho em altura:


o local em que os serviços serão executados e seu entorno;


o isolamento e a sinalização no entorno da área de trabalho;


o estabelecimento dos sistemas e pontos de ancoragem;


as condições meteorológicas adversas;


a seleção, inspeção, forma de utilização e limitação de uso dos sistemas de proteção coletiva e individual, atendendo às normas técnicas vigentes, às orientações dos fabricantes e aos princípios da redução do impacto e dos fatores de queda;


o risco de queda de materiais e ferramentas;


os trabalhos simultâneos que apresentem riscos específicos;


o atendimento aos requisitos de segurança e saúde contidos nas demais normas regulamentadoras;


os riscos adicionais;


as condições impeditivas;


as situações de emergência e o planejamento do resgate e primeiros socorros, de forma a reduzir o tempo da suspensão inerte do trabalhador;


a necessidade de sistema de comunicação;


a forma de supervisão.


EPIs para o Trabalho em Altura


Como mencionamos anteriormente, os EPIs são uma das medidas de controle de risco a serem tomadas pela saúde e segurança física dos trabalhadores.


No entanto, a implementação dessas medidas deverá respeitar a hierarquia de controle de risco estabelecida pela NR 35.


Essa hierarquia está dividida da seguinte forma:


Medidas para evitar o trabalho em altura, sempre que existir meio de execução;

Estratégias que eliminem o risco de quedas dos trabalhadores, na impossibilidade de execução do trabalho de outra forma;


Maneiras de minimizar as consequências da queda, quando o risco de queda não puder ser eliminado (aqui entram os EPIs para Trabalho em Altura).


Para definir os equipamentos de proteção individual para o Trabalho em Altura, é necessário tomar como base o PPRA (Programa de Prevenção de Riscos Ambientais) e a NR 6 – Norma Regulamentadora dos EPIs.


Geralmente, os equipamentos de segurança para o trabalho em altura são:


Ancoragem


Cinto de Segurança (EPI)


Cinto de Segurança tipo Cadeirinha (EPI)

Conectores


Cordas


Escadas


Polia


Talabarte de Segurança


Trava Queda


Trava Queda Retrátil


No entanto, existem outros equipamentos que podem ser específicos para determinados casos, ou são utilizados com frequência na maioria deles. Abaixo você confere alguns exemplos!


EPIs que também são utilizados no Trabalho em Altura

Para que a segurança no Trabalho em Altura seja eficiente, outros tipos de EPIs também são utilizados. Alguns exemplos deles são:


Calçado de segurança


Óculos de segurança


Capacete de segurança


Luvas de segurança.


Para saber qual é o equipamento de segurança que a sua empresa precisa, é necessário a avaliação de um profissional especializado em segurança do trabalho.


Pronto para o checklist de equipamentos que não podem faltar para a proteção no trabalho em altura?


Confira a lista de EPIs obrigatórios e acessórios necessários para garantir a proteção contra quedas.


Cinto de Segurança tipo paraquedista


Talabartes simples


Talabarte Y


Talabarte ajustável ou de posicionamento


Trava-quedas


Capacete com jugular