top of page

Dicas da limpasolar de todos EPI'S para ser usado em trabalho de limpeza solar

Os EPI são todos os equipamentos ou dispositivo utilizados pelos trabalhadores, destinados à proteção de riscos relacionados à atividade realizada no ambiente de trabalho que podem afetar a saúde, a segurança ou a vida.


Imagem: limpasolar.com 


Um equipamento de proteção individual pode ser constituído por vários meios ou dispositivos associados de forma a proteger o seu utilizador contra um ou vários riscos simultâneos.



É obrigatório o uso dos EPI:


• Sempre que as medidas de ordem geral não ofereçam completa proteção contra os riscos de acidentes do trabalho ou de doenças ocupacionais;


• Enquanto as medidas de proteção coletiva estiverem sendo implantadas;


• Para atender situações de emergência.


Obrigações do empregador:


•A empresa deve fornecer ao funcionário todos os EPI adequados ao risco que ele esteja exposto, os equipamentos devem estar em perfeito estado de conservação e funcionamento.


• Adquirir o EPI adequado ao risco de cada atividade.


• Exigir o seu uso


• Fornecer ao empregado somente EPI aprovados pelo órgão nacional competente em matéria de segurança e saúde no trabalho.


• Orientar e capacitar o empregado quanto ao uso adequado acondicionamento e conservação.


• Substituir imediatamente, quando danificado ou extraviado.


• Responsabilizar-se pela higienização e manutenção periódica.


• Comunicar ao Ministério do Trabalho e Emprego qualquer irregularidade observada.


Obrigações do funcionário:


• Utilizar apenas para a finalidade a que se destina;


• Responsabilizar-se pelo acondicionamento e conservação;


• Comunicar ao empregador qualquer alteração que o torne impróprio para uso;

Dicas

• Cumprir as determinações do empregador sobre o uso adequado.


Capacete de proteção tipo aba frontal e total


São utilizados para a proteção da cabeça contra: irradiação solar e chuva, impactos e perfurações provenientes da queda de objetos e choque elétrico. Devem ser utilizados tanto em trabalhos em ambientes abertos quanto em ambientes confinados.



Capacete de proteção tipo aba frontal com viseira


São utilizados para a proteção da cabeça e face, em trabalhos onde exista o risco de explosões com projeção de partículas e queimaduras provocadas por abertura de arco voltaico.



Óculos de segurança para proteção - lente incolor e com tonalidade



São utilizados para a proteção dos olhos contra impactos mecânicos, partículas volantes, radiação ultravioleta e infravermelho.

Protetores auditivos



São utilizados para a proteção dos ouvidos nas atividades e nos locais que apresentem ruídos excessivos. Os mais utilizados são os protetores auditivos tipo inserção e concha.



Proteção respiratória



São utilizados: respiradores purificador de ar descartável, respirador purificador de ar com filtro, respirador de adução de ar máscara autônoma, para a proteção do sistema respiratório nas atividades e nos locais que apresentem concentrações de poeiras, névoas (ex: dedetização), fumaça, vapores ácidos e orgânicos e vírus e bactérias.


Luva isolante de borracha


São utilizada para proteção das mãos e braços do empregado contra choque em trabalhos e atividades com circuitos elétricos energizados.


Luva de cobertura para proteção da luva isolante de borracha




É utilizada exclusivamente como proteção da luva isolante de borracha.


Luva de proteção em raspa e vaqueta



É utilizada para a proteção das mãos e braços do empregado contra agentes abrasivos e escoriantes.


Luva de proteção tipo condutiva


É utilizada para a proteção das mãos e punhos quando o trabalhador realiza trabalhos ao potencial.


Luva de proteção em borracha nitrílica



É utilizada para a proteção das mãos e punhos do funcionário contra agentes químicos e biológicos.


Luva de proteção em PVC



É utilizada para a proteção das mãos e punhos do funcionário contra recipientes contendo óleo, graxa, solvente e ascarel.


Manga de proteção isolante de borracha



É utilizada para a proteção do braço e antebraço do funcionário contra choque elétrico e contatos acidentais durante os trabalhos em circuitos elétricos energizados


Creme protetor para a pele


É utilizado para a proteção das mãos e braços contra agentes químicos.


Calçado de proteção tipo botina de couro




É utilizado para a proteção dos pés contra torção, escoriações, derrapagens, escorregões e umidade e agentes químicos agressivos.


Calçado de proteção tipo bota de couro (cano médio e longo)



É utilizado para a proteção do trabalhador quando o empregado realiza trabalhos ao potencial.


Perneira de segurança



É utilizada para a proteção das pernas contra objetos perfurantes, cortantes e ataque de animais peçonhentos.


Uniforme impermeável



É utilizado para a proteção do corpo contra chuva, umidade e produto químico.


Vestimenta de proteção tipo condutiva




É utilizada para proteção do empregado quando executa trabalhos ao potencial.


Colete salva-vidas (aquático)



É utilizado para a proteção do empregado contra submersão e para facilitar a visualização em caso de queda na água.


Cinturão de segurança tipo paraquedista



É utilizado para a proteção do trabalhador contra quedas em serviços onde exista diferença de nível.


Talabarte de segurança tipo regulável e tipo Y com absorvedor de energia



São utilizados para a proteção do empregado contra queda em serviços onde exista diferença de nível, em conjunto com cinturão de segurança tipo paraquedista e mosquetão tripla trava.


Dispositivo trava-quedas



É utilizado para a proteção do trabalhador contra queda em serviços onde exista diferença de nível, em conjunto com cinturão de segurança tipo paraquedista.



Creme protetor solar





É utilizado para a proteção do empregado contra ação dos raios solares.


Levantamentos recentes indicam que o Brasil acaba de ultrapassar a marca histórica de 200 mil conexões para geração fotovoltaica distribuída em usinas de grande porte e pequenos e médios sistemas instalados em telhados e terrenos.

Porém, trabalhadores responsáveis pela instalação e manutenção de sistemas fotovoltaicos, assim como moradores que têm placas instaladas no telhados, estão potencialmente expostos a uma variedade de riscos se os devidos cuidados não forem tomados.

Veja quais são os principais riscos em sistemas fotovoltaicos e conheça os cuidados necessários para tornar essa forma de gerar energia sustentável muito mais segura.

Principais riscos ao instalar sistemas fotovoltaicos sem cuidados


O Brasil possui um dos melhores recursos solares do planeta. Com isso, tem assumido uma posição cada vez mais destacada no desenvolvimento e uso da tecnologia fotovoltaica em residências, empresas e terrenos.

Porém, instalar um sistema solar sem qualquer preparo pode ser algo muito perigoso.

Hoje em dia, várias empresas acabam disponibilizando os famosos “kits de energia solar”, mas não fornecem qualquer auxílio ou orientação sobre como proceder com a respectiva instalação.


 Assim, falhas e até acidentes mais graves podem ser ocorrências desse descuido.

Entre os principais riscos relacionados aos sistemas fotovoltaicos, temos os seguintes.

Acidentes em altura


Uma das etapas mais perigosas durante o processo de instalação de um sistema fotovoltaico é no momento de instalação dos painéis solares, que geralmente ocorre em altura e em plano inclinado, caso dos telhados de residências e comércios.

Os trabalhadores que instalam ou que fazem a manutenção de painéis solares atuam frequentemente nesses telhados usando escadas e andaimes, por isso estão expostos aos riscos de queda.

Choques elétricos


Placas fotovoltaicas geram eletricidade e, por isso, podem ser muito perigosas para quem não conhece os riscos nem sabe o que está fazendo.

Vale lembrar que uma placa fotovoltaica comercial pode gerar tensão nominal de até 36 volts em corrente contínua.


Uma vez que são necessárias, no mínimo, 8 placas para uma casa pequena, toda essa tensão gerada pelo arranjo pode ser fatal para pessoas.

Incêndios


Um painel solar comercial possui rigorosos sistemas de proteção e de isolamento que garantem não só uma longa vida útil, em torno de 25 anos, como também a segurança física do imóvel que vai recebê-lo.

Entretanto, quando um consumidor adquire uma placa irregular, a qualidade precária de fabricação dela associada à instalação falha pode levar a acidentes elétricos, que em alguns casos podem ocasionar incêndios de grandes proporções.

A estrutura do telhado não supera o peso do sistema


Um dos problemas mais comuns gerados por sistemas fotovoltaicos é o desabamento do telhado por excesso de peso. Isso ocorre por erros de cálculo e falta de planejamento.

Outro problema são as placas solares (de baixa qualidade ou mal instaladas) que se soltam do telhado na presença de um vendaval. Essa ocorrência pode trazer sérios riscos à segurança das pessoas.

Como evitar os principais riscos em sistemas fotovoltaicos?


Para conseguir a máxima segurança no uso da energia solar, o ponto de partida deve ser a busca por serviços oferecidos por uma empresa especializada, que tenha profissionais treinados e que ofereça bons equipamentos. Afinal, não vale a pena expor-se a um risco sem necessidade.

Assim, com base nos riscos já citados, são essenciais algumas medidas preventivas para que a instalação e o uso de sistemas fotovoltaicos sejam mais seguros.

Deixe o trabalho em altura ou com eletricidade para profissionais


Considerando ser um trabalho realizado em altura e o risco que essa etapa envolve, a recomendação é sempre contratar uma empresa especializada nessa função.


Essas empresas contam com treinamentos que seguem as Normas Regulamentadoras, caso da NR 35 – Trabalho em Altura. Tais profissionais também possuem todos os EPIs e técnicas para trabalho em altura.

Uma recomendação semelhante existe para evitar choques elétricos. Nesse caso, a NR 10 – Segurança em instalações e serviços em eletricidade deve ser seguida por um profissional qualificado, habilitado e treinado da maneira correta.

Correto dimensionamento do módulo fotovoltaico


Quando realizamos a instalação de um módulo fotovoltaico em uma instalação já construída, é fundamental ter em mente que haverá um acréscimo de uma carga não prevista originalmente na estrutura e no telhado do imóvel.

A instalação dos módulos fotovoltaicos, em média, aumenta em 40% o peso por metro quadrado que a estrutura do telhado precisa suportar. Planejar isso é fundamental.


Além do peso dos módulos fotovoltaicos, é necessário também considerar os efeitos da ação do vento.

Dessa forma, os módulos fotovoltaicos, as estruturas de suporte deles e os métodos utilizados para fixação precisarão ser muito bem dimensionados para a capacidade de suporte do telhado e para a velocidade máxima do vento esperada no local, conforme normas aplicáveis.

Por fim, é preciso salientar que sistemas fotovoltaicos são extremamente seguros e raramente causam acidentes.


Mas, para isso, é preciso investir em planejamento, execução e manutenção mais seguros.


Também vale contratar uma empresa especializada e que tenha profissionais treinados como a limpasolar.com 




Comments


bottom of page