top of page

Desperta investe R$ 150 milhões para expandir GD por assinatura

Fusão com a Mutual Solar capitalizou a empresa, que lançará novo produto para negociação de créditos de energia excedente.

A Desperta Energia, especializada em soluções de geração distribuída, vai investir R$ 150 milhões até o fim de 2024, não só para expandir sua atuação geograficamente, mas para ofertar novos produtos de GD por assinatura para os clientes de baixa tensão.


Imagem: Divulgação


A nova estratégia é consequência do reforço de capital que a empresa teve com a fusão concluída em janeiro com a Mutual Solar, empresa especializada em financiamento solar e que manteve o nome da Desperta na nova empresa, apesar de passar a ser a controladora operacional.

A Desperta opera por meio de plataforma eletrônica para ofertar assinaturas de geração distribuída compartilhada para pessoas físicas e jurídicas na baixa tensão e que, por assinatura, ficam vinculadas à geração remota de usinas solares parceiras, recebendo os créditos de compensação.


A vantagem desse sistema, já muito comum em alguns estados, é a não necessidade de investimento dos consumidores em instalações solares.

A empresa também afirma que está desenvolvendo, em sua plataforma, um produto pelo qual consumidores que tenham instalações solares poderão negociar seus créditos de energia excedentes.


Segundo a empresa, quando pronta, pessoas físicas e jurídicas poderão comprar essa energia excedente por meio do modelo de assinatura.


No momento, os técnicos envolvidos no projeto estão trabalhando no desenvolvimento da tecnologia de gestão das microusinas geradoras para permitir o lançamento oficial da solução.

Além de novos produtos, a empresa quer se expandir geograficamente, já que hoje atua apenas no Rio de Janeiro, interior de São Paulo, Mato Grosso do Sul e Minas Gerais.


Segundo informa em comunicado, a Desperta já tem contratos fechados e outros em negociação para entrar em operação nos próximos meses em São Paulo (capital), Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Distrito Federal, Bahia, Piauí e Ceará.


Por conta da nova controladora, a empresa também passou a oferecer financiamento para as micro e miniusinas e em breve atuará também como comercializadora de energia.


Fonte: Fotovolt

Comentários


bottom of page